Uma batalha vencida

Uma batalha vencida

Em novembro de 2015, após praticar atividade física, Jéssica Simas começou a sentir um desconforto na região do tornozelo esquerdo. O incômodo permaneceu durante alguns dias, mas ela não achou necessário procurar um médico. Seis meses se passaram, Jéssica retomou aos exercícios, e o desconforto passou para dor – uma dor muito forte que só aumentava, acompanhada de inchaço no local. Depois de tantos exames e duas biópsias, recebeu o diagnóstico de osteosarcoma (câncer) na tíbia esquerda. Ela venceu uma difícil luta, e tem muito o que ensinar.

O HNSG na minha vida

Sentindo muita dor, percebi,então, que não teria outro jeito, senão ir ao hospital. O médico então solicitou diversos exames e no resultado da radiografia apareceu uma mancha no osso. Entre tantas possibilidades o médico informou que poderia ser um tumor ósseo. Naquele momento, como eu não tinha conhecimento do assunto, saí do consultório com aquela notícia como se fosse algo normal. Porém, quando cheguei em casa e contei para minha família eles não receberam da mesma forma. Com os resultados em mãos, o médico encaminhou meu caso para um ortopedista oncológico e ali começava uma nova fase da minha vida.

Depois de tantos exames e duas biópsias, recebi o diagnóstico de osteosarcoma (câncer) na tíbia esquerda. Eu, com apenas 20 anos, recebi a notícia de que estava com um câncer maligno e que teria que passar por coisas que eu nunca imaginei que passaria. Mas mesmo com o susto e com as dificuldades que vieram logo em seguida, continuei com a certeza de que tudo tinha um propósito. Realizei então mais alguns exames, um implante de cateter e, em julho de 2016, a minha primeira quimioterapia. O cabelo caiu, os enjoos começaram, a dor estava sempre presente, mas em meio a tantas batalhas comecei a perceber a beleza de cada detalhe. Minha família se uniu, conheci pessoas incríveis e vivi coisas que muitos nunca viveram.

Logo começamos a tratar a respeito da cirurgia e em um dos exames de rotina descobri que o tumor havia aumentado de 10 cm para 14 cm, mesmo com a quimioterapia. Com essa notícia, minha avó que esteve ao meu lado em todos os momentos, agendou uma consulta com outro médico, pois não podíamos perder mais tempo. Na consulta ele me explicou uma técnica que trouxe do Japão, na qual eu precisaria fazer as quimioterapias vermelhas em ambulatório e iria fazer uma outra quimioterapia internada.

Depois que a lesão diminuísse, iríamos fazer uma cirurgia diferente da convencional, em que é colocado um enxerto e existe uma chance grande de rejeição e de ficar diferença de uma perna para outra. A técnica que foi utilizada cortou meu osso, foi feita a raspagem do tumor que estava somente no medular do osso, depois esse osso foi congelado e recolocado. Dessa forma, a consolidação é rápida e as chances de rejeição muito pequenas, pois era o meu próprio osso.

A cirurgia foi realizada depois de muitas quimios e novos exames. A data agendada pelo médico foi 05 de dezembro de 2017, às 8h30. Quando ouvi isso tive certeza de que Deus estava me dando um recomeço, uma nova chance, pois exatamente no dia 05 de dezembro de 1995 às 8h40, eu estava nascendo.

Nove horas após o início da cirurgia eu estava saindo do centro cirúrgico, anestesiada, mas muito feliz pela benção recebida. Me sinto privilegiada por todo cuidado, carinho e dedicação que recebi dos meus familiares, amigos e, principalmente, da equipe médica do Hospital Nossa Senhora das Graças.

Minha mensagem

Só tenho a agradecer por cada um que esteve ao meu lado me ajudando, socorrendo e dando forças. Hoje, com 22 anos, estou curada de um câncer e retornando a rotina, mas, com certeza, nada será como antes. Muitas vezes não entendemos o porquê de passarmos por coisas ruins, que nos abalam e parecem nunca ter fim. Mas tenho aprendido que a vida é como num quebra-cabeças, em que não temos o resultado final para nos basear, por isso não conseguimos ver porque algumas coisas acontecem, porém tem alguém que sabe e Ele só quer que você confie. Deus não nos dá um fardo mais pesado do que podemos carregar, mas se por algum motivo as nossas limitações nos fizerem fraquejar, Ele nos dará forças.

 


Importante!
Os comentários publicados nessa área do site, não representa, obrigatoriamente, a opinião do Hospital Nossa Senhora das Graças. Os textos publicados através desse sistema são de exclusiva, integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O Hospital Nossa Senhora das Graças reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou, de alguma forma, prejudiciais a terceiros. Da mesma forma, informamos que comentários que exponham dados pessoais e clínicos dos pacientes poderão ser moderados no intuito de preservar a privacidade dessas informações. Reforçamos que os comentários que apresentarem caráter promocional não serão publicados.