Serviço de Andrologia do HNSG realiza workshop sobre prótese peniana inflável

Cirurgia foi transmitida para médicos médicos urologistas do Paraná e Santa Catarina.

Ao longo da vida, 50% dos homens podem apresentar algum grau de disfunção erétil. Em parceria com a Boston Scientific e Giamedical, com apoio da Sociedade Brasileira de Urologia-Paraná, foi realizado no último final de semana, no Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), um workshop ao vivo para médicos da especialidade de urologia e andrologia, a respeito da implantação de prótese peniana inflável, indicada para pacientes com disfunção erétil ou doença de Peyronie com deformidades graves.

Realizada pelo cirurgião urológico, Dr. Tiago Mierzwa, que é chefe do Serviço de Andrologia do HNSG, e pelos urologistas Rafael Ambar, Ruimario Coelho e Rodrigo Krebs, a cirurgia foi transmitida para médicos do Paraná e Santa Catarina.

“O Hospital Nossa Senhora das Graças que é referência pelo seu Serviço de Urologia, se destaca também pelo seu Serviço de Andrologia, subespecialidade da Urologia que se destina ao cuidado dos distúrbios sexuais e reprodutivos do homem, tendo sido escolhido pela Boston Scientific, empresa mundial de tecnologias médicas, para realização do evento, visto sua referência na realização de cirurgia de prótese peniana no Paraná”, diz Dr. Luiz Edison Slongo, chefe do Serviço de Urologia do HNSG.

As próteses são tratamentos definitivos que promovem rigidez peniana para relação sexual. “Quando bem indicado, proporciona o retorno à vida sexual mesmo em casos graves de disfunção erétil”, explica o cirurgião urológico do HNSG, Dr. Tiago Mierzwa.

O procedimento é realizado com anestesia raquidiana ou geral. O médico faz uma pequena incisão na base do pênis ou na região suprapúbica, por onde serão implantados os cilindros penianos. De acordo com Dr. Tiago a recuperação do paciente é rápida, com retorno às atividades após 5-7 dias, exceto exercícios físicos que devem ser evitados por um mês.

Os pacientes fazem uso de medicações por alguns dias, para controle de dor. O tempo para retomada da vida sexual é cerca de 4 a 6 semanas”, acrescenta o médico

Tipos de Próteses

Atualmente no Brasil os dois principais modelos de próteses penianas são as maleáveis ou semirrígidas e as infláveis. Cada uma apresenta suas peculiaridades, riscos e benefícios.

Próteses penianas infláveis

Esse modelo é o que permite um pênis mais próximo do natural, além de ser a prótese menos perceptível de todas, não ficando nada aparente. Atualmente o modelo mais utilizado dessa prótese é a de 3 volumes, composta por dois cilindros penianos conectados a uma “bombinha” e um reservatório.

Os cilindros de silicone são posicionados no interior do pênis e conectados ao “pump” ou “bombinha”, que será posicionada na bolsa escrotal e o reservatório se será alocado na região suprapúbica, próximo da bexiga para não ficar perceptível. Para fazer uso da prótese, o paciente irá comprimir o “pump”, deslocando em poucos segundos o soro que está no reservatório para o interior dos cilindros. Após a relação, o paciente deixará o pênis flácido novamente apertando uma única vez o botão do “pump’, deslocando novamente o soro para o reservatório e permitindo uma flacidez completa.

Próteses penianas maleáveis (semirrígidas)

São duas hastes metálicas revestidas com silicone, o que permite uma rigidez adequada para relações sexuais assim como uma boa maleabilidade para ocultar nos períodos que não deseja utilizar. Esse modelo permite pacientes com menor habilidade manual possa fazer uso sem dificuldade. Além disso, possuem um custo muito mais baixo do que as infláveis e estão menos sujeitas a falha mecânica, pois apresenta apenas um componente.

Voltar