Hospital convida população para tentar convencer João sobre a importância de ser um doador de órgãos.

Não sou doador de órgãos. Mude minha opinião.

João não é doador de órgãos. Levamos ele em uma praça de Curitiba, próxima ao Hospital, para ouvir o que as pessoas tem a dizer sobre isso e quem sabe ser convencido a mudar de ideia. E você o que diria para tentar convencer o João? Responda aqui embaixo ou publique em seu perfil com a #respostaaojoao. Queremos saber sua resposta!

Publicado por Hospital Nossa Senhora das Graças – HNSG Curitiba em Segunda-feira, 21 de setembro de 2020

No próximo domingo (27) é o Dia Mundial da Doação de Órgãos. Buscando chamar atenção à data, o Hospital Nossa Senhora das Graças, de Curitiba, encontrou uma forma diferente de falar sobre o assunto. Convidou João, que não é doador de órgãos, para ir numa praça da cidade ouvir o que as pessoas falam sobre o tema e quem sabe tentar convencê-lo.

O momento foi gravado e publicado nas redes sociais do hospital com um pedido: O que você diria para tentar convencer o João?. As respostas podem ser realizadas na publicação ou pelas redes sociais com a hashtag #respostaaojoao.

“A doação de órgãos ainda é um assunto que tem muitas crenças e tabus. A decisão final é da família e por isso devemos falar sobre o assunto, para não ficar muitas incertezas. Nós como hospital, temos a missão de informar à população que esse gesto de amor pode salvar muitas vidas. Quanto mais pessoas souberem, mais vidas serão salvas”, diz o cirurgião geral Dr. Eduardo Ramos, Chefe do Serviço de Transplante Hepático do HNSG.

No Dia Mundial da Doação de Órgãos o hospital vai revelar se João se mudou de ideia. Atualmente, de acordo com a Central de Transplantes do Paraná, 2099 paranaenses aguardam na fila por um órgão para transplante. O HNSG é referência em transplante de fígado.

É preciso avisar sua família

A lei 9.434 estabelece que doação de órgãos pós morte só pode ser feita quando for constatada a morte encefálica. A doação só pode ser feita com autorização da família. Por isso, é importante conversar com familiares sobre o desejo de ser doador.

O que é a morte encefálica?

É a parada definitiva e irreversível das atividades cerebrais, provocando em poucos minutos a falência de todo o organismo. O diagnóstico é feito por especialistas de medicina intensiva e neurologia que comprovam com exames que o cerébro parou de funcionar.

Quem recebe os órgãos?

Pacientes que necessitam de um transplante e estão aguardando em lista única, definida pela central de transplantes da secretaria de saúde de cada estado.

Ocorre com base em:

Gravidade da doença,

Tempo de espera em lista,

Tipo sanguíneo,

Compatibilidade anatômica com o órgão doado

Outras informações médicas importantes.

Órgãos que podem ser doados:

Coração

Rins

Pâncreas

Pulmões

Fígado

Tecidos, como: córneas, pele, ossos, valvas cardíacas e tendões.

Cada pessoa que decide ser um doador pode salvar através de seus órgãos até 9 vidas.

Voltar