O que devo fazer para me tornar um doador de medula?

Você já pensou em salvar uma vida? O transplante de medula salva vidas, porém as chances de encontrar uma medula óssea compatível para um paciente são extremamente raras, podendo chegar a 1 caso em 100 mil. Muitas pessoas nem imaginam, mas o desejo de se tornar doador é muito importante para pacientes que aguardam pelo transplante.

Para se tornar um doador de medula, é necessário que você manifeste essa vontade a um banco de sangue, que fará a coleta de uma uma pequena amostra de sangue (de 5 a 10 ml), que será analisada, para que os resultados sejam enviados para o Redome (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea).

Quando houver um paciente com possível compatibilidade, o doador será consultado para decidir quanto à doação. Por este motivo, é necessário manter os dados sempre atualizados.

Para seguir com o processo de doação serão necessários outros exames para confirmar a compatibilidade e uma avaliação clínica de saúde. Somente após todas estas etapas concluídas o doador poderá ser considerado apto e realizar a doação.

Para se encaixar no perfil da doação, é necessário ter entre 18 e 55 anos de idade, estar em bom estado geral de saúde, não ter doença infecciosa ou incapacitante e não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.

Bancos de Sangue em Curitiba

Instituto Pasquini – Banco de Sangue do Hospital Nossa Senhora das Graças
R. Alcides Munhoz, 433 – Mercês

Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (HEMEPAR) 
Tv. João Prosdócimo, 145 – Alto da XV

Hemobanco (Hospital Evangélico) 
R. Cap. Souza Franco, 290 – Bigorrilho

Banco de Sangue Erasto Gaertner (BSEG) 
R. Dr. Ovande do Amaral, 201 – Jardim das Américas

Biobanco do Hospital de Clínicas (HC) 
Av. Agostinho Leão Junior, 108 – Alto da Glória

Assista o vídeo gravado com pacientes do HNSG:

Voltar