Diversão com segurança

Médica do HNSG dá orientações para prevenção de afogamentos na faixa pediátrica.

Férias, verão, piscina são uma ótima combinação. Porém deve-se ter atenção redobrada com as crianças.Infelizmente, acidentes não são raros e podem trazer consequências graves ou até fatais.

“Afogamentos ocorrem de maneira rápida e silenciosa. Por possuírem a cabeça mais pesada que o corpo, crianças com até quatro anos de idade ainda não têm força suficiente para se levantarem sozinhas e nem capacidade de reagirem rapidamente. Por isso, em caso de queda ou desequilíbrio, elas podem se afogar até mesmo em recipientes com apenas 2,5 cm de água ou outros líquidos, seja uma banheira, pia, vaso sanitário, balde, piscina, mar ou rio”, diz a cirurgiã pediátrica do Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), Dra. Mariah Mello.

De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, os afogamentos são a segunda maior causa de morte entre crianças com idade de zero a 14 anos, com uma média de 2,6 óbitos por dia. Para aproveitar o momento de diversão com mais segurança, Dra. Mariah dá dicas que podem evitar muitos acidentes, confira:

– Nunca deixe crianças sozinhas quando estiverem dentro ou próximas da água, nem por um segundo. O adulto responsável não deve estar envolvido em outras atividades, incluindo o celular, socializar, cuidar de tarefas ou ingerir bebida alcoólica.

-Crianças devem aprender a nadar em escolas de natação especializadas. Se os pais ou responsáveis não sabem nadar, devem aprender também.

-Muitos casos de afogamentos acontecem com pessoas que sabem nadar. Portanto, não superestime a habilidade de crianças e adolescentes, saber nadar não exclui a necessidade de um adulto as supervisionando.

-Ensine as crianças a não correr, empurrar, pular em outras crianças ou simular que estão se afogando quando estiverem na piscina, lago, rio ou mar.

-O colete salva-vidas é o equipamento mais seguro para evitar afogamentos. Boias e outros equipamentos infláveis podem estourar ou virar a qualquer momento.

-Piscinas devem ser protegidas com cercas de no mínimo 1,5 m de altura e portões com cadeados ou travas de segurança.

-Ensine as crianças a respeitarem as placas de cuidado nas praias, rios e piscinas, bem como, as orientações dos guarda-vidas.

-Tenha um telefone próximo à área de lazer e o número do atendimento de emergência sempre visível (SAMU: 192; Corpo de Bombeiros: 193).

-Depois do uso, mantenha baldes, bacias, banheiras e piscinas infantis vazios, virados para baixo e fora do alcance das crianças.

-Deixe a porta do banheiro e da lavanderia fechada, mantenha a tampa do vaso sanitário baixada e com um dispositivo de segurança.

-As cisternas, tonéis, poços e outros reservatórios domésticos devem estar sempre trancados.

Dra. Mariah Mello
Cirurgiã Pediátrica
CRM/PR 28.414
@dramariahmello

Voltar