Com regravação de música da cantora Pitty, HNSG reforça os cuidados de prevenção durante o outubro rosa

 

Para chamar atenção ao outubro rosa, mês em que se destaca a prevenção do câncer de mama, o Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), de Curitiba, regravou a música “Na Semana que Vem”, da cantora Pitty. A música foi interpretada pela cantora curitibana Julcy Rodrigues para um vídeo do hospital que conta com a participação de pacientes que tiveram câncer de mama ou ainda estão em acompanhamento médico .

A escolha musical, reforça no refrão a frase “Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar”. E foi essa a mensagem escolhida pelo hospital para falar sobre a importância da prevenção do câncer de mama. “Sabemos que as mulheres ocupam diariamente vários papéis, o de mãe, esposa, filha, profissional, entre outros. E muitas vezes fica difícil conseguir um tempo na agenda para se cuidar. Mas é muito importante que todas saibam da importância de realizar ao menos uma vez ao ano os seus exames preventivos. Se diagnosticado precocemente o câncer de mama, as chances de cura chegam a 90%”, afirma Karina Furlan Anselmi, médica mastologista do HNSG.

Hipólita Maria Senem é uma das mulheres que aparecem no vídeo e venceu a luta contra o diagnóstico. Ela descobriu em 2017, ao realizar o autoexame. “Num olhar mais cuidadoso diante do espelho, fazendo o autoexame, reparei que um dos meus seios estava diferente, além da minha pele parecer “enrugadinha”, apresentava uma certa assimetria. Corri ao marido, e tirei a dúvida, se ele também estava vendo o mesmo que eu, afinal ele é a pessoa em quem mais confio na vida.Quando chegaram os resultados dos exames foi um choque. Nada te prepara para um resultado inesperado, e uma notícia ruim é uma notícia ruim até você encontrar motivos que a tornem mais amena”, relembra Hipólita.

Faena e sua mãe Carmen Rosillho também passaram por esse momento e descobriram juntas que estavam com câncer de mama. “Sempre fazemos os exames de rotina e tivemos juntas o diagnóstico o câncer de mama. Fizemos quimioterapia, ficamos carecas, cirurgia, e depois radioterapia. Até hoje fazemos medicação para controle. Mas estamos bem, graças a Deus, conta Faena.

Um novo olhar para a vida

Após vencerem o câncer de mama, Faena e Carmen passaram a ter um novo olhar para a vida. “Saber que já passamos por isso e sobrevivemos é gratificante demais. Nos perguntamos porque tivemos juntas, hoje pensamos que foi melhor pois pudemos atravessar esse mar ,uma ajudando a outra. Não tem como pensar igual depois de tudo. Revalorizamos as nossas vidas, nós importamos com outras coisas, muito mais valiosas espiritualmente”, diz Faena.

Para Hipólita a recuperação foi um desafio à paciência. Desde a descoberta da doença, sempre foi manteve o pensamento positivo.”Uma amiga me falou que o importante disso tudo é que mantive o brilho no olhar…mal sabe ela que eu nunca o perdi, pode ter ficado um pouco ofuscado, mas com certeza, agora já sinto que voltou renovado e com garra”, conta.

 

Voltar